search instagram arrow-down
Eduardo Merino

Cá está uma temática sempre atual, pertinente e altamente estudada ao longo da história humana.
Vou tentar reproduzir uma opinião que funda os princípios biológicos à ciência.
Estudos recentes separam claramente a fisiologia do orgasmo biológico feminino do masculino.
Essas diferenças ainda estão a ser padronizadas, mas uma coisa é certa: tudo é diferente em termos fisiológicos e instintivos.
Mas vamos por partes. Em primeiro lugar gostava de referir que o orgasmo feminino é um ótimo sinal de apelo ao parceiro. Numa época em que se registam tantas dificuldades em casais procriarem, está aqui um indicador biológico puro. Se a mulher atinge facilmente o orgasmo com o parceiro, é um sinal biológico simples de aceitação. O caminho para a fecundação está desta forma preparado.
Mas realmente para que serve o orgasmo?
Um conjunto explosivo de sensações e alterações químicas no corpo, que faz o ser humano por momentos viajar por um mundo de êxtase e prazer.
Se reparar-mos o orgasmo serve para aprimorar o coito e potenciar o momento da reprodução. Os estímulos e reações são automáticos e instintivos.
No caso do homem são potenciados os músculos pélvicos, extensores da anca e coluna vertebral. Objetivo: que a ejaculação seja profunda, potente e capaz de fazer deslizar os espermatozóides até ao óvulo.
Na mulher, o orgasmo potencia os músculos adutores das pernas (aperta o parceiro contra ela ) e braços ( agarra o parceiro). Para além disso durante o orgasmo, há uma grande contração da musculatura pélvica, promovendo o deslizamento dos espermatozóides em direção aos ovários.
Curioso que nesses estudos verificou-se que o durante o orgasmo órgãos cerebrais como as amígdalas, são como que desligados nas mulheres e quase desligados nos homens. As amígdalas controlam o nosso medo, o que nos explica porque durante aqueles breves momentos o mundo deixa de existir. Não há medos, problemas, nada. Estado de Nirvana puro. No entanto no homem existe uma pequena parte ativa, levando a pensar que é o macho que deverá estar preocupado com os perigos. Ou seja a mulher fica completamente plena ao coito e o homem levemente desperto.

Ficam aqui algumas ideias dos possíveis comportamentos sexuais de cada um de nós, sabendo que 50% da nossa forma de viver a sexualidade, está na nossa história.
O que ouvimos pela primeira vez, as primeiras descobertas e os primeiros contactos.
Diz-me como vives o ato sexual e eu dirte-ei quem és!
Tudo o resto são adaptações da nossa espécie com o objetivo único : SOBREVIVÊNCIA e PROLIFERAÇÃO DA ESPÉCIE.

One comment on “A biologia do orgasmo!

  1. Peter diz:

    Fantástico texto

    Gostar

Deixe uma Resposta
Your email address will not be published. Required fields are marked *

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: