search instagram arrow-down
Eduardo Merino

Um dos contextos ideológicos que recentemente tomaram ação nos vários paradigmas sociais, é o facto de existirem condições no universo que nos proporcionam soluções aos nossos problemas.

Para mim a ideia base é extremamente interessante, sob o ponto de vista de que nós seres humanos fazemos parte deste universo gigantesco, altamente complexo e em contínua evolução. No entanto, o ser humano é extremamente perspicaz em alterar paradigmas, principalmente com o objetivo de lhe tirar a responsabilidade das suas decisões.

Então o que ele faz é dizer que o universo está atento a nós, cria os nossos caminhos, envia-nos sinais e até já temos um destino desenhado.

A minha opinião é clara: o universo não proporciona nada. O universo que nos envolve está lá, com determinadas características que nos permite estar vivos. E por si só, isto já é uma grande coisa.

O universo não tem estados de alma.

Ele não nos escreveu um destino, aliás ele não está preocupado realmente se nós estamos felizes ou tristes.

A única coisa que nos faz mudar os nossos contextos de vida é a nossa percepção das coisas. Mais propriamente uma coisa chamada atenção focada.

Ou seja, basta a minha perspectiva mudar, que tudo pode ser diferente. No entanto os resultados até podem ser semelhantes.

Sei que é complicado, mas nada é fácil nesta vida. Aliás o ser humano tem a sua maior características a capacidade de se questionar infindavelmente.

Um bom exemplo disto eu experienciei na minha profissão. Os fisioterapeutas fazem muita formação contínua nas mais diversas áreas do conhecimento.

É muito interessante observar que um fisioterapeuta após ter feito um determinado curso, nos dias após a formação, parece que o universo lhe colocou à sua frente todos os casos com a temática aprendida. Por exemplo se ele faz uma formação sobre força muscular, nos dias após o curso parecem que surgiram nas consultas dele só pacientes com problemas musculares. Da mesma forma, um colega que tenha feito um curso sobre cicatrizes e problemas posturais, vai ficar com a ideia que de repente tudo à volta dele tem cicatrizes e problemas de postura.

Na verdade a única coisa que mudou nos fisioterapeutas foi a sua atenção focada a uma ideia, ou conjunto de ideias. Este processo permitiu-lhes que fossem percepcionadas de forma completamente diferentes todos os dados da sua consulta, alterando as suas atenções e as tomadas de decisão.

Mais curioso ainda é que os 2 fisioterapeutas fazem diagnósticos diferentes ao mesmo utente e podem ter os 2 bons resultados. Dependerá da forma como a mensagem for transmitida, percebida e aceite pelo utente.

Na nossa vida isto é automático com uma incrível dimensão. Nós nem nos damos conta da forma como somos guiados nas nossas escolhas, que somos completamente condicionados nas nossas tomadas de decisão.

Agora não se enganem com a forma. Não foi o universo que nos colocou nada em especial para nós. Simplesmente nós é que mudamos a forma de ver o mundo.

Artigo baseado em :

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29308984/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28983507/

Deixe uma Resposta
Your email address will not be published. Required fields are marked *

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: