search instagram arrow-down
Eduardo Merino

A ciência abre-nos um mundo muito mais imenso que o da fantasia.

Ela sobrepõe-se ao humano, da mesma forma que os Deuses entraram na nossa evolução Sapien.

Entrou de mansinho apoderando-se das ciências humanas, médicas e sociais.

Carborada por um questionamento insaciável , nada poderá passar impune à sua arguência.

Quem mais sofre com isso foi quem a fez nascer: o nosso self. Esconde-se da falha, enganando o arbítrio num vasto espectro, que deriva desde a lógica filosófica à razão.

Tínhamos de dar um nome a esse engano e escolhemos vieses. E como são versáteis estes enganos. Além de serem infinitamente complexos (volta e meia lá aparece um novo), eles atuam no próprio momento da sua comunicação.

Tão comum observarmos a exposição científica com comunicação imperceptível, decorada com juízos de valor depreciativos, nada imparcial e recheada de estados de alma.

A ciência é dura porque nunca para na observação, comunicação, partilha e muito menos na prática. Ela exorcisa o racional para um patamar reflexivo, que nos coloca ao mesmo nível da poeira do cosmos.

Mas ela também nos ensina a ser humanos, percebendo esta fragilidade profunda de sermos altamente sensíveis, desvalorizados, mutáveis e carentes.

Por um lado ela mostra-nos quem manda, desfaz mitos e crenças, altera paradigmas e lendas, sentando-nos nus mirando para um espelho onde nada terá maior significado que a pura sobrevivência.

Mas por outro lado ela esclarece a humanidade, essa rede emocional que nos fez unir em grupo, amar, imaginar e sentir o infindável mundo da crença.

Se não usarmos a ciência para nos promover vantagens adaptativas, ela destrói-nos. (Basta observarmos a filosofia do Niilismo puro, onde o sentido da vida é insignificante e a única salvação será na morte. Mas até aí teremos problemas, pois para esses pensadores a escolha da morte no suicídio será mais complexa e dura que a própria vida.)

Se formos ciência em vida, no questionamento, arguência, equidade, partilha, aceitação, respeito e transformação, ela eleva-nos novamente ao mundo maravilhoso que é ser humano.

2 comments on “Ciência que estais no céu

  1. Boa tarde, Eduardo, seus artigos são muito bons, parabéns, grande abraço.

    Gostar

Deixe uma Resposta
Your email address will not be published. Required fields are marked *

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: